Dogecoin: a criptomoeda favorita de Elon Musk

Autora: Vivian Balthazar


Você certamente já deve ter ouvido falar do Bitcoin, a criptomoeda mais famosa da atualidade. Porém, há outras de destaque. Uma delas vem ganhando cada vez mais popularidade e atraindo diversas celebridades, como Elon Musk. Essa criptomoeda é a Dogecoin, criada inicialmente como piada, mas que vem crescendo em 2021.


O primeiro artigo relacionado ao Bitcoin foi publicado em 2007 por um programador, ou grupo de programadores, sob o pseudônimo Satoshi Nakamoto. Bitcoin, considerada a primeira moeda digitalizada, abriu portas para um sistema bancário livre e descentralizado que atrai cada vez mais a atenção de investidores para o universo das criptomoedas. Mais de 6.000 outras foram criadas desde então.


Anos depois, em dezembro de 2013, a Dogecoin foi criada pelos programadores Billy Markus e Jackson Palmer, com o objetivo de consolidar uma moeda divertida e barata que se distanciasse das criptomoedas tradicionais, como o Bitcoin. A moeda utiliza até hoje como mascote o meme “Doge”, um cachorro da raça Shiba Inu. Teve também um crescimento rápido comparado às outras criptomoedas e ganhou força como um sistema de gorjetas pela internet, no qual os usuários do Reddit, por exemplo, poderiam conceder DOGE para outros da comunidade. Começou como uma piada, mas recentemente o valor de Dogecoins em circulação alcançou US$50 bilhões e é uma das 10 criptomoedas mais valiosas do mercado, ocupando o sétimo lugar. Já é claro para alguns especialistas que o token possui uma utilidade para além do status de moeda-meme e vem demonstrando um crescimento expressivo.


No início das operações, a carteira online Dogewallet chegou a sofrer um ataque cibernético em que milhões de moedas DOGE foram roubadas. O caso trouxe uma notoriedade à criptomoeda, mesmo que negativa, por causa de discussões no Twitter sobre o assunto. A comunidade Dogecoin iniciou uma iniciativa chamada "SaveDogemas” para doar moedas para aqueles que as tiveram roubadas.


É também considerada uma Altcoin, ou seja, é uma criptomoeda alternativa ao Bitcoin. As liquidações do Dogecoin já chegaram a ultrapassar momentaneamente as do Bitcoin em abril de 2021, mostrando alta demanda por esse ativo e levando especialistas a averiguar se o período atual é de uma nova era das Altcoins. Dados do Coin Market Cap mostram que o volume diário de negociação da Dogecoin é maior que a maioria das outras criptomoedas em exchanges. Um atrativo é o de que a transação da DOGE possui uma duração média de 1 minuto, enquanto o Bitcoin demora em torno de 10 minutos para ser transacionado. Exemplificando, enquanto o Bitcoin realiza em torno de 5 transações por segundo, a Dogecoin pode chegar a fazer 50. No entanto, à medida que a demanda aumenta, a tendência é de que haja uma taxa de transferência maior para se manter este padrão veloz. Além disso, ainda há pessoas que acham que perderam a oportunidade de investir em Bitcoin e veem na Dogecoin uma chance de acompanhar o crescimento de uma criptomoeda.


A propagação da Dogecoin está concentrada no meio digital, principalmente no Reddit e no Twitter. A criptomoeda deixou de ser piada para muitos quando em 2020 sua fama cresceu de forma expressiva, devido principalmente aos tweets do bilionário Elon Musk. O CEO da Tesla e SpaceX consegue disparar o fundo com poucas palavras relacionadas à criptomoeda, movimentando comentários e postagens de apoiadores da comunidade DOGE.

O aplicativo Reddit, notório pelo caso da GameStop, também é um dos principais meios de comunicação da comunidade. Em janeiro de 2021, um grupo chamado SatoshiStreetBets, similar ao WallStreetBets, que esteve por trás dos acontecimentos envolvendo as ações da GameStop, decidiu levar o valor da criptomoeda “à lua”. A Dogecoin disparou 800% em apenas 24 horas e a comunidade do Reddit recomendou que as pessoas não vendessem ainda, mas sim continuassem a guardar para o futuro. Nessa mesma época, o volume de negociação da Dogecoin atingiu US$5 bilhões, ultrapassando pela primeira vez o do Bitcoin.


No último dia 20, os fãs de Dogecoin celebraram o Doge Day, fomentando as redes sociais com postagens que promovessem a criptomoeda. Na semana anterior a esse evento, a DOGE chegou a subir 500% em pouco mais de 7 dias, indo para o novo recorde de US$0,45. O objetivo dos apoiadores do evento era de fazer com que o preço subisse para US$1, no entanto, para isso ocorrer, a sua capitalização de mercado teria que atingir US$156 bilhões e no momento está em torno de US$40 bilhões. A expectativa da comunidade é de que, à medida que o mercado de criptomoedas cresça, as exchanges ofereçam derivativos de Altcoin, atraindo mais investidores para as criptomoedas menores, como a Dogecoin. No entanto, as chances do preço de US$1 se manter são pequenas, já que os operadores institucionais adquirem os instrumentos de venda a descoberto e a Dogecoin é uma criptomoeda inflacionária, além de ainda ter pouca utilidade.


Na semana do Doge Day, a sua capitalização de mercado alcançou a marca de $50 bilhões, se tornando a quinta criptomoeda de maior valor, momentaneamente. No total, teve uma valorização de mais de 8000% desde o início de 2021, ou seja, um investimento inicial de 1000 reais teria se transformado em mais de 80.000 reais.

Apesar do crescimento das criptomoedas em 2021, os planos tributários de Joe Biden já estão causando um processo de desvalorização. A menção do plano “Made in America Tax Plan” causou, em 24 horas, uma queda de 8,59% no Bitcoin e 22,97% na Dogecoin. Os planos visam aumentar os impostos sobre ganhos de capital, com uma taxação de quase 40% para os cidadãos com ganhos acima de US$1 milhão, os donos de criptomoedas terão sua renda de investimento suscetível a esta política fiscal. Mesmo assim, as correções tendem a ser passageiras.


A DOGE teve o seu período de correção até o dia 28 de abril. Neste dia, a criptomoeda começou sendo negociada em queda, a US$0,25, mas um tweet do Elon Musk relatando que a Dogecoin iria aparecer no Saturday Night Live, no dia 8 de maio, fez seu preço subir 32% em três horas, alcançando US$0,33, segundo o CoinGecko. Já é a segunda vez, em menos de uma semana, que o empresário impacta diretamente no preço do ativo.




O gráfico mostra que, em novembro de 2020, 1 Dogecoin valia em torno de 0,3 centavos de dólar. O preço em abril de 2021 já ultrapassou 40 centavos de dólar e, à medida que a criptomoeda se torna mais famosa, o preço tende a se aproximar da meta de US$1. Nesta última quarta-feira (28), o presidente do FED se mostrou preocupado com a euforia em torno da valorização da Dogecoin e o movimento das ações da GameStop. Para ele, ambos os eventos representam um estado perigoso no mercado de investimentos.


Alguns estabelecimentos nos Estados Unidos já estão inclusive aceitando DOGE como método de pagamento. Em março de 2021, a loja oficial do time de basquete americano Dallas Mavericks anunciou que passaria a aceitar a criptomoeda. O proprietário do time, o bilionário Mark Cuban, disse em seu Twitter que as vendas de mercadorias do time subiram 550% desde que o clube anunciou que aceitaria pagamentos com Dogecoin. Além disso, ele também afirmou que não iria vender o acumulado de Dogecoin, mas sim guardar para o longo prazo, demonstrando esperança em uma valorização futura.


O empresário também disse no The Ellen Show, dia 28 de abril, que “Dogecoin é um ótimo jeito de aprender e começar a entender criptomoedas”. No dia anterior, ele anunciou em seu Twitter que as vendas feitas com Dogecoin na loja de seu time não só cresceram, mas que também o Bitpay (provedor de serviços de pagamento em criptomoeda) está a caminho de 6 mil transações DOGE em abril. Todavia, poucos estabelecimentos aceitam esta criptomoeda, refletindo em pouco valor de troca.


A ideia inicial dos criadores era de disponibilizar 100 bilhões em circulação, o que já seria bastante, mas, depois de um tempo, decidiram não por um limite fixo de emissão. Ao contrário das demais criptomoedas, a Dogecoin é amplamente criticada por possuir quantidades ilimitadas de moedas que podem ser produzidas, isto a torna inflacionária. Enquanto o Bitcoin possui como quantidade finita um limite de 21 milhões, a Dogecoin já possui em torno de 129 bilhões de moedas em circulação. Em fevereiro de 2021, um de seus criadores, Billy Markus, afirmou que o sistema inflacionário da Dogecoin é similar ao da Ethereum e que há uma emissão fixa por bloco, em que o cronograma de lançamento de novas moedas é previsível e a taxa de inflação diminui à medida que a moeda continua. Atualmente, 5 bilhões de Dogecoins são emitidos por ano.


Entretanto, a visão otimista em relação à criptomoeda ainda está longe de ser consensual. O pesquisador Christian Aranha, autor do livro “Bitcoin, blockchain e muito dinheiro”, acredita que a Dogecoin não possui utilidade na prática, diferentemente da Ethereum, que também é inflacionária, ou até mesmo do Bitcoin, que é uma reserva de valor. Além disso, ele refuta a ideia de que o preço do Bitcoin não irá mais subir, pois trata-se de uma moeda deflacionária, que se valoriza com o tempo.


O Bitcoin possui um sistema deflacionário, que contém um incentivo econômico para quem entra antes, já que a inflação diminui ao longo do tempo, tornando-o uma reserva de valor. Já a Dogecoin possui o fator inflação, que acompanha um grande vetor para baixo, diferentemente do Bitcoin, que possui um vetor para cima. Ainda segundo Christian Aranha, "1 dólar é um número importante. Funciona como uma meta. Uma vez batida todo mundo vai largar”. Assim, este patamar de valor pode ser insustentável no longo prazo devido à natureza essencialmente especulativa por parte dos investidores e à sua característica inflacionária.


Uma outra crítica acerca da Dogecoin é a de que se trata de um esquema de “Pump and dump”, em que há uma fraude de valores mobiliários que trata de inflar artificialmente o preço do ativo por meio de uma ação própria, através de declarações enganosas, com o intuito de vender os ativos comprados a baixo custo por um preço alto. Quando os operadores do esquema vendem seus ativos supervalorizados, o preço cai e os investidores perdem seu dinheiro. Na era tecnológica, esta prática é bastante comum em fóruns de internet, principalmente quando se trata de criptomoedas pequenas. No entanto, é difícil de ser comprovada e controlada, os influenciadores digitais possuem muita capacidade de movimentar as massas de acordo com seus benefícios, tornando difícil achar um limite.


Alguns especialistas também consideram a possibilidade de que a Dogecoin se trata de um esquema de pirâmide, em que apenas um pequeno grupo no topo da pirâmide consegue obter a rentabilidade do ativo, as custas do dinheiro da parte mais baixa da pirâmide, que não recebe o prometido. No entanto, outros rebatem esta afirmação dizendo que, no caso das criptomoedas mais utilizadas, quando o preço cai todos perdem, até mesmo os maiores investidores.


Para além das críticas, a comunidade desta criptomoeda é conhecida por praticar diversos projetos sociais. No ano de 2014, o grupo Dogecoin foi responsável pela captação surpreendente de recursos nos seguintes eventos:

- A comunidade conseguiu captar fundos para que a equipe de bobsled da Jamaica, classificada nos Jogos Olímpicos de Inverno, conseguisse as condições necessárias para comparecer ao evento. Aproximadamente US$30.000 foram arrecadados.

- A Doge4Water foi consolidada com o objetivo de levantar fundos para a construção de um poço de água no Quênia, antes do Dia Mundial da Água (22 de março). Cerca de US$30.000 também foram arrecadados.

- O grupo também conseguiu arrecadar aproximadamente US$50.000 para patrocinar o piloto Josh Wise, da NASCAR. O piloto correu anunciando o Dogecoin em seu carro, atraindo notoriedade para o criptomoeda.


Ainda não há um consenso sobre o futuro da Dogecoin, mas certamente ainda ouviremos muito sobre essa criptomoeda, e sua fiel comunidade, no ano de 2021. A maior parte dos investidores concorda que a moeda deixou de ser uma piada e já é utilizada com objetivos de troca e de investimento mas, se possui de fato valor ou não, descobriremos com o tempo. No momento, cada Dogecoin vale em torno de seis vezes mais do que o Bitcoin custava em 2010. Será uma bolha de especulação, que eventualmente irá explodir, ou será o início de uma criptomoeda cada vez mais utilizada e comentada?


Referências Bibliográficas:


https://br.investing.com/analysis/dogecoin-explode-piada-das-criptomoedas-se-torna-sensacao-do-mercado-200441648

https://coinext.com.br/dogecoin-doge

https://cointelegraph.com.br/news/dogecoin-doge-market-cap-hits-50b-surpassing-ing-and-barclays

https://cointelegraph.com/news/doge-out-of-control-social-media-and-whales-sway-dogecoin-price-action

https://cointelegraph.com.br/news/dogecoin-trading-volume-hits-5b-surpassing-bitcoin-s-for-the-first-time-ever

https://cointelegraph.com.br/news/new-altcoin-era-dogecoin-liquidations-briefly-surpass-bitcoin

https://tecnoblog.net/437704/euforia-sobre-dogecoin-e-gamestop-preocupam-presidente-do-fed/

https://www.cnbc.com/2021/01/29/dogecoin-cryptocurrency-rises-over-400percent-after-reddit-group-talks-it-up.html

https://www.jornalcontabil.com.br/dogecoin-fas-declaram-dia-do-doge-e-a-moeda-salta-20/

https://www.seudinheiro.com/2021/criptomoedas/dogecoin-criptomoeda-semana